Roma, a cidade eterna

Visitei Roma pela primeira vez em 2013, na minha também primeira vez na Itália. Fiquei apenas três dias na cidade, sendo que o terceiro foi reservado apenas para o Vaticano, e não pude explorar tudo o que Roma tem a oferecer.

Dessa vez, fiquei cinco dias, e além de poder revisitar todos os pontos turísticos que visitei em 2013, como a Fontana Di Trevi, o Pantheon, o Castelo de Sant’Angello, a Piazza Navona, o Coliseu Romano, e o Monumento a Vittorio Emmanuele, pude visitar tantos outros, e ainda me sobrou espaço pra encaixar uma day-trip pra Pompei, na região da Campagna, mas isso eu conto no próximo post.

Antes de escrever esse texto, reli os posts sobre Roma e fiquei feliz de ver que, mesmo revendo muita coisa, vi coisas novas. O Arco di Constantino, por exemplo, que fica do lado do Coliseu, estava em reforma em 2013 e eu não pude aprecia-lo de verdade. Dessa vez, ele não estava e eu puder admira-lo e tirar milhares de fotos. O Monumento a Vittorio Emmanuele estava fechado ao público, o que dessa vez não aconteceu, e eu pude entrar, ver a Chama da Eterninade, tirar fotos e subir os degraus pra poder ver Roma lá do alto. A Fontana del Netuno, que é diferente da de Bolonha, que também estava em reforma em 2013, estava lá, pronta, linda e jorrando água pra todo lado.

Pequenos detalhes que fazem revisitar uma cidade valer muito a pena.

Dessa vez eu também visitei a Bocca Della Verittà, uma estátua muito estranha que fica próxima ao Rio Tibé e que diz a lenda, traz boa sorte aqueles que colocam a mão nela. Também visitei a Isola Tibetana, uma ilha no meio do rio, que abriga um museu e é palco pra vários festivais de verão.

Pude também sentir a cidade com calma, andar sem rumo trombando nos muitos, mas muitos mesmo monumentos e ruínas romanas espalhadas pela cidade, tomar muito gelato e claro, comer bem e barato.

No meu último dia, reservei o período da manhã para explorar grande parte do parque Villa Borghese, um dos parques mais famosos de Roma, onde ficam o Zoólogio, o Museu de Arte Moderna, a Pinacoteca e várias outras coisas. De lá, sentei em restaurante e comi um dos pratos mais romanos de todos, o Rigattoni Alla Carbonara e de barriga cheia, peguei o trem para o Lago Albano, um lago a cerca de 15km de Roma.

Sem dúvida, o melhor jeito de fechar essa viagem a Itália. O Lago Albano era tão lindo e de água quente quando o Lago Lugano, na Suíça, mas bem menor. Curti algumas horas por lá e voltei pra Roma, pra comer bem, dormir e voltar à realidade da vida em Cardiff.

Anúncios

6 comentários sobre “Roma, a cidade eterna

  1. Adorei! Dessa vez não visitarei Roma, mas não o faço justamente porque não conseguiria permanecer muitos dias por lá. Já quero planejar a próxima viagem, dessa começando na cidade eterna. 😍
    Excelente texto, Rick!

      1. Dessa vez, se nossos planos couberem no tempo, ficaremos em quatro cidades: Pádua, Milão, Florença e Veneza. Desses quatro pontos, visitaremos também Noale e Trebaseleghe (comuni dos antepassados), Verona e Bolonha. Em Veneza, queremos passar também pelas ilhas de Burano e Murano.
        Vai dar pra usar muita dica sua! Haha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s