24 horas em Mandalay

Nosso plano original era de ficar duas noites em Mandalay e então seguir viagem pra Bagan, por mais duas noites, mas depois de 10 dias incríveis na Tailândia, nosso expectativa estava muito alta e depois de umas pesquisas na internet, acabamos por mudar nosso plano e ficar só uma noite na cidade.

Pousamos em Mandalay pouco mais de meio-dia e lá pelos 12:30 já tínhamos passado pela imigração e estávamos prontos pra ir pro nosso hotel, no centro de Mandalay. Reservamos um táxi no aeroporto mesmo e com a mesma empresa fechamos nosso pacote Mandalay pra Bagan, pro dia seguinte às 14h, nós dando pouco mais de 24h na cidade e também já fechamos o transfer de Bagan pro aeroporto de Mandalay no nosso último dia.

O caminho do aeroporto pro hotel foi bem diferente de tudo que vimos na Tailândia. Myanmar me pareceu muito mais com a Índia do que com a Tailândia. Sujeira por toda a parte, muito pobreza escancarada na sua cara e uma horrível sensação de impotência diante dessa realidade tão diferente da nossa.

IMG_2670Passei por algo parecido no Marrocos e em partes do Peru, mas Mandalay superou ambos e foi muito desconfortável.

Até encontrarmos um lugar legal pra comer e beber, já eram quase 15h e tínhamos pouco tempo pra conhecer as 3 coisas que circulamos em Mandalay: o Palácio de Mandalay, Mandalay Hill e a Ponte U Bein. Como tudo era muito longe e estava um calor dos infernos, alugamos uma motinha cada e fomos corajosamente desbravar o tráfico maluco de Mandalay, que não perde nada pro tráfico de Bangkok ou Phuket.

Nessa hora meus níveis de ansiedade estavam altíssimos e sofri pra manter a calma e não parar no acostamento e ligar pra mamãe.

Depois de um tempo me senti mais confortável, não fiquei mais ansioso e até aproveitei o percurso até a ponte. Acabamos perdendo uma entrada e tivemos que passar por uma vila que foi, na medida do possível, legal. Legal porque vimos a vida local mesmo, todo mundo dizia ‘hello’ pra gente, mas horrível porque novamente toda aquela pobreza estava escancarada na nossa cara e não podíamos fazer nada.

A ponte em si é bem interessante, é a ponte de madeira tipo ‘teak’ mais longa do mundo, com 1.2km de comprimento, cruzando o lago Amarapura, perto de Mandalay.

Na manhã do dia seguinte, pegamos nossa motinha novamente e fomos conhecer o Mandalay Hill, que ficava ha uns 15min do hotel. O Mandalay Hill é um complexo de pagodas ao longo de uma montanha, cujo topo dá uma vista incrível de Mandalay.

Pra subir, precisamos tirar os sapatos e encarar os 40min de caminhada até lá em cima descalços. Os templos são bem locais e importantes na cultura de Myanmar, por isso acabamos vendo apenas uns 4, 5 turistas. O fato de ter poucos turistas faz com que o povo veja turistas como novidade e fomos parados pra fotos varias vezes. Minha amiga E. é uma holandesa loira alta e foi estrela do passeio, com muita gente pedindo foto com ela, e de tabela, comigo e com C. também.

Mesmo com a E. roubando nossa luz, algumas pessoas pediram foto só comigo e também só com a C.

Tínhamos que voltar pro hotel logo, mas antes tínhamos que devolver a motinha onde alugamos, do outro lado da cidade, o que fizemos com maestria já bem acostumados com o trânsito maluco.

Fechamos nossa visita a Mandalay na traseira de uma caminhonete a caminho da estação de ônibus onde pegamos um ônibus caindo aos pedaços pra Bagan.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.