Sentidos aguçados em Bangkok – parte II

Antes de entrarmos no Grand Palace, paramos pra comer Pad Thai e tomar água de coco em um restaurantezinho pequeno ali perto.

O Grand Palace também é um complexo de templos e estátuas e um palácio, porém muito maior do que o Wat Pho. E por ser maior e por ser a casa do Templo do Buda da Pedra da Esmeralda, ele é maior caro pra entrar (500 baht / £12.50) e muito, mas muito mais cheio de gente.

Gente pra todo quanto é lado.

Além de muita gente, um calor de 37 graus na cabeça, ou seja, receita pra stress. Também não é permitido entrar de bermuda e o bonito aqui teve que comprar uma calça de elefante de última hora pra poder entrar.

Devido a esses fatores acima, não aproveitei o Grand Palace tanto assim. Entrei, vi, tirei fotos, mas o calor e o suor e principalmente, a quantidade absurda de gente lá dentro me deu muita ansiedade e eu só queria saber de sair de lá rapidinho e foi o que fizemos depois de 1h30 mais ou menos.

Paramos pra nos hidratar de novo, dessa vez com Thai milk tea e negociamos um TukTuk pra nos trazer de volta pro hotel, do outro lado do centro enorme de Bangkok.

Pra recuperar desse dia louco e cheio de gente, resolvemos experimentar a famosa Massagem Tailandesa do lado do nosso hotel e por 300 baht (£7.50), deixei uma senhorinha de 1.40mt de altura pisar nas minhas costas e estralar todas as juntas do meu corpo! Doeu HORRORES, mas vale a pena.

Fechamos nossa noite jantando no enorme shopping do lado do hotel, chamado Terminal 21, assistindo Captain Marvel no cinema e ficando de boquiabertos passeando pela Soi Cowboy, um dos red light districts de Bangkok, com lady boys a torto e a direito.

Havíamos planejado uma day-trip pra Ayutthaya no nosso segundo dia em Bangkok, mas depois de ler inúmeros relatos do rolê que é pra chegar lá, resolvemos não ir e ficar mais um dia na cidade mesmo. Como ainda vamos pra ChiangMai e Bagan, templos não vão faltar e como também não queríamos mais loucura de humanos, resolvemos pagar pelo day pass da piscina do hotel chique do lado do nosso hotel pobre e passamos o dia INTEIRO na piscina, das 9h até o por do sol.

No regrets.

Passamos mais uma manhã sossegada em Bangkok passeando no parque Benjakitti e seguimos viagem pra Phuket.

Parando pra analisar, não vimos tudo que tem pra ver em Bangkok, como a Khaosan Road, onde vendem os insetos e escorpiões no espeto, os inúmeros floating markets e também os outros tantos templos e estátuas de Buda, mas eu sabia que não daria pra ver tudo e estou feliz com o que pude ver.


2 comentários sobre “Sentidos aguçados em Bangkok – parte II

  1. Rick, li os seus dois posts e cara, é exatamente assim que imagino Bangkok, uma caralhada de gente, calor, e vários sentidos aguçados ( claro, muitos templos bonitos). Uma mistura muito doida de muitas coisas, barulhos, cheiros, sabores.. e acredito que seja um lugar pra ”saborear” na calma mesmo. Se não der pra ir, não deu, do que ficar naquele maior stress pra ver tudo.
    E com um calorao, fazer varios nadas na piscina também cai bem hahaha! 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.