Sentidos aguçados em Bangkok – parte I

Comecei essa viagem pro sudeste asiático como começo todas: empolgado e cheio de energia, porém admito que perdi o rebolado lá pela hora 14-15 da interminável viagem de quase 24 horas até a Tailândia.

A viagem começou em Bristol, passou por Londres, teve escala em Pequim (China) e enfim, Bangkok.

Chegaos em Bangkok cansados, com fome e com muito calor, já que a cidade nos recebeu com um bafo quente e úmido de quase 40 graus! Do aeroporto pegamos o SkyLine e por volta das 18h chegamos no hotel , deixamos as malas, lavamos o corpo e fomos explorar!

Por sorte, estava rolando um festival de comida e artesanato local bem perto do hostel e curtimos nosso primeira noite ali, comendo Pad Thai por £1 e a minha comida preferida dessa vida, mango sticky rice por £1 também. Acabei também comprando uns pares de meia curtas (que esqueci em casa) e um par de shorts curtíssimo pega-rapaz lindo por apenas £2 cada.

Super jet lagged, voltamos pro hotel e fomos dormir porque queríamos fazer muita coisa no nosso primeiro dia na Tailândia.

Acordamos cedo, pegamos o SkyLine de novo e fomos conhecer o Grand Palace de Bangkok, mas a vida nos surpreendeu (pra melhor) e nosso plano meio que ‘miou’. A ideia era ir da nossa estação até a estação X, pegar um barco e ir pro Grand Palace, mas quando chegamos na estação X, enquanto procurávamos o barco, fomos parados por um senhor tailandês que nos abordou com ‘como vocês são altos!’ e acabou nos dando um mapa, circulando uns lugares e chamando um TukTuk pra gente.

Montamos no TuKTuK e fomos desbravar o trânsito louco de Bangkok, que acreditem é mais louco do que o Marrocos! Achei que íamos bater umas 10x e vi cada coisa nas ruas e avenidas que fariam o DETRAN ter um troço.

Ele nos levou pra ver um Buda da sorte, um templo escondido e nos deixou no pequeno ‘porto’ de barcos, onde pagamos os 50 baht (£1.25!!!) que o devíamos. Lá, porém, a gente meio que sofreu um ‘golpe’ pois o passeio de barco de 1h até o Grand Palace nos custou 500 baht (£12.50) cada, o que pra padrões tailandeses é caro pra cacete, mas como ainda não era caro em libras, topamos.

E foi a melhor coisa que fizemos.

Passamos 1h dentro do barco motorizado, passeando pelos canais de Bangkok e vendo a casa das pessoas de verdade, escolas com crianças, casas enormes, condomínios, casas de madeira caindo aos pedaços, mercados flutuantes, e até vimos dois lagartos asiáticos nadando no rio. Esse tour chama Khlong Tour e é muito recomendado como a maneira mais autêntica de ver Bangkok, o que geralmente eu não acredito, mas o motorista do nosso barco parou na casa dele pra entregar um pacote pro filho, daí acreditei.

Descemos na rua onde fica o Grand Palace, mas antes de irmos nele, fomos ver o famoso Buda Deitado, ou Wat Pho, que fica perto do Grand Palace. Pagamos 200 baht (£5) e como de se esperar, estava um calor desgraçado e tinha uma caralhada de gente. O Buda Deitado não é a única atração do Wat Pho, já que ali também tem muitos outros Budas, entidades e vários templos belíssimos. Ficamos por ali umas 2h e enfim, seguimos pro Grand Palace, mas como já falei muito, vou parar por aqui e contar mais no próximo post.


2 comentários sobre “Sentidos aguçados em Bangkok – parte I

  1. Nossa, esse negócio do barco foi meio roubada, hein? Mas no fim, que bom que vocês gostaram. Quando fomos pra Ásia, qualquer pessoa que vinha com algum papinho pra gente eu falava em português mesmo “ai, desculpa, não falo inglês”. Já tinha lido que rola uns golpes, então ficamos atentos. Curiosa pra saber o que mais você achou!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.