Curitiba, o primeiro mundo do Brasil

Meu amigo R., que foi comigo pro Brasil e pro Peru, depois de visitar Bolívia, Chile, Argentina e Uruguai, voltou pro Brasil e me perguntou se eu tinha dicas sobre Curitiba e Florianópolis, pois ambas estavam no seu roteiro.

Como visitei Floripa no comecinho de 2017 e escrevi um post aqui no blog, foi facinho de dar dicas pra ele. Já Curitiba, que visitei em 2010 e nunca cheguei a escrever nada aqui no blog, foi mais difícil. Tive que revirar a minha pasta de fotos, o que meu uma senhora nostalgia e resolvi que deveria escrever sobre a capital do Paraná aqui no blog também.

Fui pra Curitiba em julho de 2010, uns dias depois de completar 21 anos. Estava sofrendo demais na época com a pressao interna de sair do armário e ser feliz ou ficar no armário e ser infeliz. Eu precisava de um break da vida e como um grande amigo meu tinha se mudado pra lá há pouco tempo (ele é de lá, mas morava em Bauru), fui visitá-lo.

 

Cheguei em Curitiba no auge do inverno, que pra mim foi um puta choque! Nunca tinha sentido tanto frio na vida. Estava na casa dos 2, 3 graus…temperatura que eu nunca tinha sentido. Acredito que eu tenha passado os poucos mais de 20 dias (isso mesmo, mais de 20 dias) que fiquei por lá usando uns 4 camadas de roupa 24h por dia!

Por ter tantos dias assim, eu curti a cidade num ritmo bem suave e fui sombra do F. e da sua namorada da época. A gente saiu muito pra restaurante, barzinho, café, casa de amigos, pizzaria, churrascarias, shopping centers, áreas de lazer, boliche e coisas do genero.

Em relacao a turismo, visitei o Jardim Botánico, que foi a coisa mais linda que meus olhos de 21 anos já tinha visto. Fiquei muito encantado com a estufa de vidro no meio do parque e com um parque tao grande e amplo, coisa que nao tem em Bauru, mas que hoje já estou acostumado.

 

Visitei também o Parque Tanguá, que me impressionou demais com sua beleza e belos canais. A Ópera de Arame também foi uma experiencia incrível, nunca tinha visto algo tao diferente e bem arquitetato, fiquei de cara. Infelizmente, no dia que visitamos o Museu Oscar Niemayer, ele estava fechado e nao podemos entrar, mas ficamos lá fora por um bom tempo só admirando a arquitetura incrível do prédio.

Outra coisa que me impressiou foi o Centro Histórico e seus prédios coloniais, coisa que, again, nao tem em Bauru e o corredor de onibus, que na época me pareceu uma coisa tao evoluída, avancada…coisa de primeiro mundo.

 

Saí de Curitiba querendo me mudar pra lá assim que terminasse a faculdade, estava determinado…mas a vida deu umas voltas e acabei nunca mais voltando pra cidade. A família do F. ainda mora lá, mas ele mora na Tailândia com a esposa, que – spoiler alert – nao é a namorada que citei.

Esses héteros, viu.


5 comentários sobre “Curitiba, o primeiro mundo do Brasil

  1. Todo mundo fala super bem de Curitiba, tenho vontade de conhecer, apesar de que como já fui ao Paraná, acho difícil ir pra capital, porque se voltasse, iria pra levar o R. pra ver as cataratas! Mas muito legal ver essas suas fotos tão baby! 🙂

  2. Que texto bacana!
    Sou apaixonado por Curitiba sem nunca ter visitado. Quero um dia conhecer!
    Infelizmente, assim como você já disse nos seus posts, serei um brasileiro como turista quando visitar o Brasil.
    Viajei muito pouco por lá antes de me mudar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.