Tapas em Madrid

Pelo título do post já deu pra sacar o que eu, gordinho de alma, mais curti em Madrid, né? Mas antes de chegar na parte boa, vamos conversar um pouquinho sobre a capital da Espanha.

Já ouvi gente dizendo que amou Madrid com toda a alma e já ouvi gente dizendo que Madrid nao é lá uma cidade tao excitante, como Barcelona, Paris ou Londres. Como eu nunca fui um grande apreciador da Espanha, vim pra Madrid com expectativas zero e me surpreendi demais!

Pra comecar, tive o privilégio de ficar hospedado bem no centro histórico, em um prédio construído na década de 20, onde a minha amiga A. mora. Conheci A. em Cardiff, onde ela morou por um tempo, ficamos amigos e quando contei a ela que viria a Madrid, ela fez questao que eu ficasse com ela e prometeu me mostrar ‘a Madrid de verdade‘.

Cheguei em Madrid em uma terca-feira, depois das 22h e fui embora no sábado de manha, ou seja, só tive 3 dias inteiros em Madrid, sendo que 4h do meu dia (das 10h as 14h horário espanhol) eram usados trabalhando na frente do computador.

Além disso, estava um calor do inferno, com mímina de 34c e máxima de 42c, e sair na rua no meio da tarde era meio que suicídio. A gente aproveitava pra sair de casa só depois das 16h, com certeza de sol até as 21h e ficava na rua até as 01h30 mais ou menos. Um outro amigo, que morou em Madrid por um tempo, me aconselhou aproveitar Madrid a noite, pois a cidade ganha vida e realmente, é outra coisa!

Minha amiga me levou pra visitar os pontos turísticos mais famosos, como o Templo de Debod, Parque El Retiro, Puerta de Alcalá, Plaza de Cibeles, Puerta de Toledo, estátua do Urso e da Árvore, Palácio Real, Plaza Major, Plaza de Espana, Paseo del Prado, e etc. Tirando a Puerta de Toledo e Puerta de Alcalá, nenhum deles é assim, impressionante.

O que curti mais foi andar pela cidade, curtir os bairros, como Chueca, a área gay da cidade e Embajadores, o bairro hipster. Também sentei no San Gines, e comi o famoso e tradicional churros espanhol, mas que nao é ninguém se comparado ao churros brasileiro (sorry A.!).

Agora vamos falar de tapas.

Gente, minha vida mudou depois das tapas. Sentar em um bar, qualquer bar, e pedir uma cervejinha baratinha de €1 ou €2 e ser presenteado com um pratinho surpresa de comidas deliciosas foi a melhor coisa que aconteceu na minha vida. E nao sao potinhos de amendoim torrado, torradinha, paozinho…é comida mesmo! Croquetes, asinhas de frango frito, lulas fritas, patatas bravas, frutos do mar fresco, camarao frito, etc…tudo ‘de grátis’!

Eu fiz questao de comer tapas no almoco e no jantar! No último dia, A. convidou sua prima e o namorado pra irmos a um ‘tapas tour‘ pelos subúrbios, onde turistas nao se atrevem a ir. Fomos de carro e gente, tapas de novo. Tipo, tapas na cara! Enchemos e pancha gastando €12 com cerveja cada e comemos muito bem.

Outra coisa que me encantei foi uma rede de restaurantes chamada 100 Montaditos, que vende uns mini-sanduiches por €1 e cerveja jarra por €1.50. Amor que nao cabe no peito por esse restaurante (please come to Cardiff!). Pra finalizar, aprendi a apreciar tostada con jámon pro café da manha. Pao cortado ao meio, tostado na tostadeira, com azeite por cima, tomates amassados e uma fatia de presunto serrano.

Se eu falasse espanhol e se a Espanha nao estivesse em crise, eu me mudaria pra Madrid!

Anúncios

7 comentários sobre “Tapas em Madrid

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s