Fim do segundo ano de mestrado

Estava olhando no ‘baú’ do blog e notei que postei muito pouco a respeito do mestrado por aqui. Escrevi uns tres posts sobre o assunto e nada mais. Dito isso, venho aqui me redimir e falar um pouco mais sobre o curso, sobre as minhas expectativas, sobre o que aprendi e principalmente, se indico o curso.

Pra quem está chegando agora, eu moro em Cardiff, no País de Gales, onde estou fazendo Mestrado em Com. Gráfica (MA in Graphic Communication) na University of South Wales. Comecei o curso em setembro de 2015 e, por estar cursando part-time, vou acabar em setembro de 2017.

O curso é dividido em 3 partes:

Parte I – 60 créditos de aula e projetos (setembro de 2015 / maio de 2016)
Cheguei a escrever dois posts no blog sobre essa primeira parte, aqui e aqui, onde contei um pouquinho sobre o curso e sobre os trabalhos que fiz.

Parte II – 60 créditos de aula e projetos (setembro de 2016 / maio de 2017)
A segunda parte do curso acabou semana passada, quando entreguei e apresentei o último projeto do curso.

Parte III – 60 créditos de trabalho final (junho a setembro de 2017)
Nao temos dissertacao pra escrever, mas sim um projeto final, chamado de Major Project. O tema do major é pessoal, ou seja, eu tenho que escolher um tema que me interesse e explorar esse tema visualmente. Pode ser qualquer coisa, contando que o resultado final seja visual e que eu tenha material suficiente pra explorar 60 créditos, claro.

Ao invés de banca de defesa, nós organisamos uma exposicao, onde os resultados finais sao apresentados a um grupo de ‘jurados’ da indústria. No momento que esse post foi escrito, eu nao faco a menor ideia do meu tema (prometo escrever um post sobre o major quando ele acabar).

Como nao preciso ir na universidade enquanto trabalho no meu major, resolvi repetir a aventura do ano passado e vou viajar. Trabalhar remoto me permite essa regalia e vou aproveitar, mas esse post nao é sobre isso. Se voce quiser saber pra onde eu vou, clique aqui.

Agora que já expliquei como o curso funciona e em qual etapa dele estou, hora de falar do curso em si.

Se comparado com minhas expectativas antes de comecar o mestrado, achei o curso fraco. Tive pouquíssimas aulas e dessas, menos ainda me foram de fato úteis e me ensinaram alguma coisa. Talvez pelo fato de o curso ter sido ‘desenhado’ pensando nos formandos da própria universidade, que diga-se de passagem, nao fazem o mestrado lá, ou pelo fato de termos um misto muito grande de recém-formados e pessoas com experiencia, o curso acabou deixando a desejar.

Expectativas de lado, aproveitei ao máximo e acredito que eu tenha evoluído e aprendido bastante, principalmente em relacao a técnicas de pesquisa, criacao e desenvolvimento. Sou formado em Publicidade e durante a graduacao, vi muito pouco de pesquisa aplicada a criacao e técnicas de criacao e desenvolvimento, enquanto no mestrado, tais técnicas estavam presentes em cada aula e cada projeto.

No total, o mestrado tem 7 módulos: tres na parte I, tres na parte II e um na parte II. Cada módulo explorou uma certa área do design gráfico (branding, editorial, web, motion graphics, prática profissional e estudo independente) e o conjunto de técnicas aplicadas a cada módulo.

Outro ponto interessante foi que durante o percurso do mestrado, fui ‘forcado’ pelo corpo docente a explorar mais as minhas solucoes e nao me fechar na primeira que encontrei. Também aprendi a vender o meu peixe com embasamento técnico, criativo e de pesquisa, pois cada projeto requeriu uma apresentacao diante de toda a classe, onde éramos bombardeados com perguntas e críticas.

Olhando pra trás, acredito que cresci muito, mas se eu soubesse que o curso seria do jeito que foi, talvez eu teria escolhido um curso um pouco mais academico, como o curso em Portugal, que eu rejeitei porque acreditei que o curso no Reino Unido seria melhor.

Anyway…

…at the end of the day, a British degree is a British degree.

Anúncios

6 comentários sobre “Fim do segundo ano de mestrado

  1. Te entendo demais, Rick. Às vezes a gente faz certas escolhas por achar que serão melhores pra nós e depois mudamos de ideia… de qualquer forma, é como você falou: uma formação acadêmica no Reino Unido sempre terá o seu valor e aprender, crescer, você aprendeu e cresceu. Agora é focar no major e usar todas essas técnicas e aprendizado pra sua vida profissional!

    • Obrigado, Babs! Nunca saberei se o outro curso seria melhor mesmo… agora nao tem como voltar atrás, né? Bora aproveitar ao máximo e usar o que aprendi! =)

  2. Caramba Rick,
    eu estou neste momento na escolha de qual processo fazer. Estava com idéias de ir a Portugal mas sei que lá é tudo mais acadêmico e sempre acho que em outro país seria melhor como Irlanda ou Holanda. Mas como estou indo para uma temática que seria um pouco diferente do que vi na faculdades, este post seu me fez refletir.

    • Oi, Veronica. Acho que depende bastante… eu fiz publicidade, entao meu curso sendo mais academico ou nao, tudo que vi foi novo.. eu queria ter me aprofundado mais em termos academicos memso, entao achei fraco..mas se eu quisesse mais pratica, meu curso seria bem perfeito. Depende do que voce quer.. e sim, Portugal, Espanha e Italia sao mais academico, enquanto UK, Irlanda sao mais praticos.. nao sei sobre Holanda.. procura saber na faculdade mesmo, pergunta pra eles. E boa sorte!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s