Uma metamorfose ambulante

Uma das coisas mais incríveis de manter um blog é a possibilidade de, através dos posts antigos, olhar pra trás e ver como a gente muda pra caralho com o passar dos meses e anos. Esses dias, estava fuçando nos arquivos do blog e me deparei com esse post, de setembro de 2013.

Nao tenho nada contra esse post, eu até gosto dele. Estou super empolgado com a minha primeira grande viagem, quando fui para a Itália, Grécia e Malta, e estou dividindo com os leitores a minha empolgacao.

Mas vamos quebrar o texto em partes?

Eu já falei aqui no blog que eu nunca tive muita vontade de conhecer toda a Europa. Não que conhecer a Europa seja algo ruim, não é, mas é que nunca fez parte dos meus objetivos. Como já falei aqui várias vezes, meu olhinhos sempre brilharam para a Inglaterra/Reino Unido (que eu já não amo tanto) e pra Austrália.

Oi? Em setembro de 2013, eu nao queria conhecer muito da Europa e possivelmente estava ainda namorando aquela possibilidade de aplicar para o Working Visa Holiday na Austrália.

Não tenho vontade de conhecer Portugal (embora tenha amigos que estão vivendo lá e só falem bem) ou Espanha, França, Alemanha, Bélgica, Rússia, Finlândia e por aí vai. Claro que se um dia eu tiver oportunidade e a Ryanair ajudar, eu vou. Mas não é uma meta.

O que voce estava pensando quando escreveu isso, senhor Ricardo? Portugal foi so far a melhor viagem que fiz, Espanha e Alemanha foram incríveis, a Finlândia entao, nem se fala.

Varios 'mims' dentro de mim.
Varios ‘mims’ dentro de mim.

Imagina se eu nao tivesse mudado de idea? Possivelmente, eu estaria de volta ao Brasil, pois minha ideia inicial era ficar na Irlanda por um ano e conhecer apenas Itália, Grécia e Inglaterra. Nao teria viajado nem metade do que viajei e nao teria investido o que investi em construir a minha vida do lado de cá do Atlântico.

Mas enfim, onde eu quero chegar com esse texto?

Em nenhum lugar específico, apenas quero te convidar a refletir comigo como mudar de opiniao e de ideas ao longo da vida nao é algo ruim, como muita gente pensa que é. Tem uma expressao em ingles que diz ‘nothing is set in stone‘ que traduz bem essa idea. Ao pé da letra, ela traduz para ‘nada está definido na pedra‘, ou seja, tudo pode mudar. Inclusive voce, suas ideias e seus ideiais, sejam eles politicos, religiosos ou até mesmo, gastronomicos.

E como Raul diz, ‘eu prefiro ser essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opiniao formada sobre tudo’.

Anúncios

4 comentários sobre “Uma metamorfose ambulante

  1. Acho que, no fundo, eu só escrevo mesmo no blog pra poder ler anos depois e ver como estava minha vida, como mudei ou o que rolou.
    E que bom mesmo que a gente muda, né? Com certeza você não imaginava que 3 anos depois de sair do Brasil estaria onde está hoje e isso é muito bom! 🙂

    1. Exato! Uma maneira de ver como a gente amadurece. Voce tem uns posts assim no seu blog tb, que vc olha hoje e fala…putz, eu pensava isso? Bjo!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s