Exceções

Ja faz um tempo que nada estranho e fora do comum me acontecia, ne? Pois bem, ontem um irlandes metido a defensor da patria quebrou o meu jejum.

O dia estava lindo e eu estava caminhando do trabalho pra casa, com meus fones de ouvido, tirando algumas fotos com meu celular e ate cheguei a sentar uns minutinhos em um dos bancos em frente ao Garavogue, pois o dia estava realmente MUITO lindo.

Eu estava curtindo uma vibe ‘obrigado Deus por eu estar vivendo tudo isso‘ e dai eu virei a esquina de casa.

Dia lindo

Dia lindo

Ao virar a esquina de casa um irlandes comum, desses que a gente ve o tempo todo – loiro, olho azul, barba e sotaque dificil – falou alguma coisa pra mim que eu deduzi ser um “hey, there“. Respondi, acenei e continuei caminhando. Ele nao se deu por contente e deu uma corridinha rapida em minha direcao e ai eu assustei.

Ele perguntou o que eu estava ouvindo e me mandou tirar os fones, pois eu estava o desrespeitando usando, pois ele estava tentando falar comigo. Tirei os foninhos, pedi desculpas e disse que estava apenas voltando pra casa.

Ele me abordou aqui

Ele me abordou aqui

Entao ele comecou a apontar o dedo no meu peito e com uma das maos dentro do bolso, fingindo ter uma faca ou algo similar. Disse que pessoas como eu sao a razao para esse pais estar uma merda, que eu era uma pedacinho de merda, que eu deveria ir embora logo do pais dele, que eu nao fui convidado e coisas do genero.

Enquanto ele me ofendia, ele tambem tentava empurrar o peso do seu corpo sobre mim e passar a perna por tras. Deduzi que ele estava tentando me derrubar.

Ali, no lindo e pacato parque em frente a minha casa e sem a presenca de nenhuma testemunha.

Por sorte, meu housemate estava saindo de casa para ir ao trabalho e percebeu que eu estava sendo intimidado pelo tal irlandes e rapidamente correu ate mim e se colocou no meio entre mim e o cara. E ai eles comecaram uma discussao que parecia que iria acabar em briga e que me deu tempo de andar ate em casa e entrar no jardim, pra dentro do portao.

Quando o cara viu que eu estava pra dentro do portao de casa ele disse “eu nao posso pegar voce dentro da sua casa, mas se eu fosse voce eu ia embora desse pais agora mesmo ou eu vou te tirar da sua cama e fazer voce fazer isso“.

Ao perceber que eu morava na casa de um irlandes (na que verdade è ingles) o tal cara ficou ainda mais possesso e comecou a ofender tambem meu housemate. Disse que ele era um traidor do seu povo, que pessoas como eu roubam, quebram janelas (?) e pegam todos os empregos.

A justificativa final para o ataque foi que eu estava tirando fotos dele, do seu povo e do seu pais (sic) com a minha camera do celular. Depois de muita discussao e de quase socos e pontapes, o cara finalmente foi embora, meu housemate verificou se estava tudo bem comigo e foi trabalhar e eu fui pro meu quarto.

Postei o acontecido no Facebook e varios amigos irlandeses me ofereceram ajuda e apenas confirmando o que eu ja sabia, isso foi uma infeliz EXCECAO! As pessoas daqui nao sao assim.

Hoje de manha eu fui ate a GARDA (policia irlandesa) pra reportar o acontecido e fui muito bem tratado pelo oficial que me atendeu, que tomou nota de tudo o que eu disse e me deu um numero direto para eu ligar caso ele apareca novamente.

Como eu nao tinha informacoes concretas sobre o cara, eu nao abri processo, mas caso eu queira, eles podem abrir uma investigacao na vizinhanca e procurar ate achar o cara. Eu disse que nao precisava, mas se caso ele aparecesse novamente, eu iria entrar em contato.

Confesso que fiquei bem assustado com o ocorrido, mas isso nao foi o suficiente pra eu deixar de amar a Irlanda e amar Sligo.

 

Anúncios

9 comentários sobre “Exceções

  1. Meu…. que foda.

    Já sofri “assédio” aqui e teve aquele episódio da cebola na Wexford Street, lembra? Só que aqueles foram light em comparação a isso. Verifique se seus housemates conhecem esse cara e tenha mais cuidado na rua! 🙂

  2. Muito legal o seu blog! Bacana você ir daí descrevendo tudo e dando a possibilidade das pessoas poderem aproveitar um pouquinho da Irlanda através da sua experiência e não apenas de sites de turismo, etc. Sempre que vou a algum país gosto de pesquisar em blogs de pessoas que já estão vivendo a cultura alheia para ver o que elas dizem, as dicas que dão, etc. Claro que cada experiência é única, mas, ainda assim, acho muito mais real ler nos fóruns e blogs. Queria também ter essa paciência para escrever, montar um blog, etc. Por isso te parabenizo! Quanto ao que vc escreveu, sobre esse nativo que te abordou dessa forma, não sei como é a questão da imigração na Irlanda, mas a conheço de perto em outros países da Europa e sei que tem muita gente bacana, que contribui, que acrescenta, mas também tem muita gente “à deriva”, que não faz questão nenhuma de respeitar os costumes do país que escolheu para viver, ou que não consegue entrar no mercado como pretendia, que se marginaliza que é marginalizada, que vive de ilegalidades, que bagunça mesmo, enfim. Há imigrantes e imigrantes e isso causa um sentimento muito ruim nos nativos e, infelizmente, gente boa que não tem nada a ver acaba pagando o pato. Estive recentemente na Suíça e lá os próprios brasileiros que conhecí me diziam para “não dar muita confiança para brasileiros” porque não prestavam! O mesmo diziam os portugueses de seus conterrâneos. Como assim?? Achei isso bastante pesado. O que será que estava acontecendo para que houvesse essa visão entre os nossos? Então descobri que “os nossos” eram campeões de delação, que denunciavam uns aos outros na polícia por residência ilegal ou whatever (palavras de um funcionário oficial lá) pelos motivos mais mesquinhos. Esses são os brasileiros, mas tem outras nacionalidades que acabam sendo campeãs em aspectos negativos também, infelizmente, e acabam marginalizadas. Isso é só um exemplo de que existem imigrantes e imigrantes e que nem todo mundo está afim ou preocupado em manter um ambiente legal (nem para “os seus”, imagine para os outros!). Agora, o que o imigrante faz ou deixa de fazer não exime o fato de que existe gente “louca”, que cultiva o ódio e que iria arranjar forma de agredir outra pessoa da mesma maneira que te agrediu, por qualquer outro motivo. E, independente de você estar aí como designer ou drug dealer, ele não poderia ter feito isso com você. Que bom que você reportou à autoridade local que sofreu esse atentado, pois não se sabe o nível de loucura desses “ultranacionalistas” (vide aí os partidos nacionalistas e seus representantes ao longo da história). Enfim, é muito triste e perigoso que você tenha passado por isso, e não te conheço, mas fico feliz por você dizer que isso foi uma exceção na sua vida aí! Boa sorte em tudo e aproveita bastante essa oportunidade!

  3. Rick, estou muito surpresa com o fato ocorrido !É impressionante como acontecem coisas no dia em que estamos mais tranquilos e com a certeza de que nada pode estragar o dia … Eu trabalho com público e quantas vezes estou no carro agradecendo por tudo e do nada vem um “infeliz” e fala várias grosserias sem nexo!Parece que é um teste pra ver se mudamos de idéias e tal… Bom o mais importante é que isso é o mínimo perto de tudo o que você viveu e está vivendo e não é um babaca como ele e muitos outros que podem surgir que vão mudar sua paixão de estar vivendo aí.

    Pretendo ir para Irlanda ano que vem , vou aproveitar pra ler todos os seus posts! Obrigada por compartilhar suas experiencias 😉 , isso é fundamental para quem pretende estudar fora e não tem a menor noção de como as coisas funcionam rsrs.
    Bjo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s