Harry Potter tour em Edimburgo

Uma das coisas que me levou até Edimburgo foi o fato da cidade ter sido inspiração para várias coisas, lugares e personagens de Harry Potter. Sim, isso mesmo. J.K. Rowling morou lá por alguns anos e aproveitou o clima sombrio e medieval da cidade pra se inspirar enquanto criava a série.

Cheguei na cidade com um roteirinho em mente, mas assim que cheguei no hostel fui surpreendido com um flyer do pessoal do Potter Trail. O Potter Trail é um grupo mantido por alguns harrymaníacos em Edimburgo e que promove GRATUITAMTENTE um walking tour pelos lugares onde J.K se inspirou. Por sorte, era um sábado e iria rolar um walking tour no fim da tarde. Abandonei meu roteiro e resolvi, antes de fazer o walking tour do hostel (que falei no outro post), começar o dia bem e fui tomar café da manhã no Elephant House, café onde J.K supostamente escreveu Harry Potter.

Elephant House
Elephant House

O Elephant House é um café charmozíssimo bem no centro de Edimburgo e que tem esse nome porque o dono ama elefantes. Tem elefantes por toda a parte. Na área comercial do café não tem nada muito representativo de Harry Potter, um ou outro aviso na parede e só. Já no banheiro…

Harryfrases de banheiro, ha!
Harryfrases de banheiro, ha!

A galera que vai ali deixa uma mensagem na parede e que pelo jeito, são super bem aceitas pela gerência do estabelecimento. Risos.

No fim do dia, depois do walking tour do hostel e de tudo que falei no outro post, fui até o local de encontro do walking tour Harry Potter. Tinham mais ou menos umas 20 pessoas esperando pela guia, que chegou um pouco atrasada vestindo uma túnica preta e carregando uma bolsa com algumas varinhas. Ela começou dando uma breve introdução sobre a história de J.K. e Edimburgo, distribuiu as varinhas e pediu para que a seguíssemos.

A primeira parada foi o Cemitério do Greyfriars, onde J.K. pegou o nome Riddle emprestado para nosso querido e amado Tom Riddle aka Lord Voldemort. É no Greyfriars também que fica a tumba de um antigo professor e escritor escocês cujo sobrenome é McGonagall, que foi a inspiração para o sobrenome da headmaster da Grifinória, Minerva McGonagall, que tem sotaque escocês no filme. O visual do cemitério também inspirou a cena do 4º filme “O Cálice de Fogo”, em que Harry encontra Voldemort pela primeira vez depois de 13 anos.

Riddle e McGonagall
Riddle e McGonagall

Dentro do Greyfrias tem um portão que dá nos fundos da George Heriot’s School, escola que inspirou a criação de Hogwarts. Vou explicar porque. Long, long time go aquela escola era conhecida (e é até hoje) como uma escola somente para garotos MUITO ricos. Mas muito ricos mesmo. Como a maioria das crianças não poderiam estudar ali, elas começaram a fantasiar coisas a respeito da escola e uma delas era que os professores voavam em vassouras e os alunos usavam varinhas para fazer as lições.

A escola, por coincidência, também era/é dividida em 4 casas distintas, separando os alunos e os organizando melhor.

Escola que inspirou Hogwarts
Escola que inspirou Hogwarts

As histórias macabras a respeito das pessoas que morreram na época do Rei James também inspiraram J.K. a criar os fantasmas do castelo de Hogwarts.

Dali passamos pelo Elephant House, que segundo a guia, não foi o local de nascimento do Harry Potter, mas sim o café onde ela encontrou pela primeira vez com o editor que aceitou publicar o livro. Há! O café onde ela escreveu as primeiras páginas do livro, depois de sua viagem entre Londres e Manchester, foi o Black Medicine Café, no centro, que não tem nada falando sobre Harry Potter.

Black Medicine Café
Black Medicine Café

Dali fomos para a cidade velha, próximo ao Castelo de Edimburgo, na City of Chambers. É ali que fica a mão da J.K. no chão (tipo calçada da Fama de Hollywood), pois ela é vista como uma grande personalidade em toda a Escócia e também a estátua de Alexander, cujo sobrenome era Lockhart e teve uma história meio “turbulenta”, como nosso querido professor de Defesa Contra as Artes das Trevas do 2º ano.

De frente para a City Chambers, tem uma igreja e na frente da igreja, tem a escultura que inspirou o design da entrada da Câmara Secreta no 2º filme “Harry Potter e a Câmara Secreta”.

Câmara Secreta
Câmara Secreta

Dali partimos para o final do walking tour que era na Victoria Street, famosa rua do comércio de Edimburgo, que foi a inspiração para a Diagon Alley. Isso porque, a Victoria Street sempre foi conhecida por ter lojas de tipos muito diferente e até bizarros, como loja de magia e até de “poções”. Era ali que um professor de Edimburgo vendia uma suposta “Poção do Amor”, professor esse que inspirou a criação de Severo Snape.

Diagon Alley
Diagon Alley

O walking tour terminou ali, com todos felizes e saltitantes por aprender tanta coisa legal a respeito do universo perfeito criado pela J.K. e claro, com todo mundo contribuindo no chapéuzinho da guia que foi a coisa mais linda do mundo o passeio todo.

Vale lembrar também que Hogwarts não fica na Inglaterra e sim nos Highlands da Escócia.

Fala sério, J.K. ama ou não ama Edimburgo?

Próximo post: Harry Potter em Londres!

Anúncios

9 comentários sobre “Harry Potter tour em Edimburgo

  1. estou indo para Edimburgo em março e entrei no site do walking tour vimos horarios mas nao sei daonde sai.
    voce poderia me informar aonde é o meeting point?
    obrigado

    1. Oi, Kaue. Obrigado pelo comentário…entao, o ponto de encontro é a estátua do cachorro, na frente do cemitério Greyfiars. No horário vai ter uma galerinha lá e a moça que faz o walking tour vai chegar meio vestida de Hogwarts..difícil não notá-la.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s