Edimburgo, a cidade medieval da Escócia

Quer um conselho? Vá pra Edimburgo. A cidade tem um “que” medieval e sombrio que deixa qualquer um boquiaberto. Você vai se apaixonar, acredite em mim.

Cheguei em Edimburgo sexta de manhãzinha, antes das 8h. Fui abençoado pelos deuses e estava um dia quente e ensolarado – bem diferente dos dias relatados nos blogs que li, ha! Edimburgo não é tão grande (450mil habitantes) e dá pra fazer tudo a pé com tranquilidade. O hostel que fiquei, o mais legal do mundo, fica localizado bem no centro, pertinho do castelo.

Comecei o dia com o walking tour oferecido pelo hostel, que por sinal, foi sensacional. Passamos por vários lugares interessantes, entre eles: o Greyfriars (onde fica a estátua do cachorro Bob), o Monumento Escocês no Prince Gardens, o Prince Gardens, a Universidade de Edimburgo e o Calton Hill.

Ah, o Calton Hill.

O Calton Hill é uma colina que fica no topo de Edimburgo e que – em dias ensolarados como o que dei sorte de pegar – proporciona uma vista magnífica da cidade. É lá que fica o Calton Monument, um monumento que imita o Partheon de Atenas, na Grécia e que dá ótimas fotos também.

Calton Hill

Calton Hill

Do Carlton Hill também dá pra ver o Arthur’s Seat, a montanha que abriga um vulcão adormecido e que cerca Edimburgo. O Calton Hill e a sua vista fantástica me impressionaram muito, mas eu sabia que ainda iria me encantar mais.

Depois do walking tour almocei Subway (minha saúde mandou um salve) e fui subir a ladeira rumo ao meu próximo objetivo: o castelo.

O Castelo de Edimburgo fica na região da cidade velha, que tem um clima mais medieval ainda do que o resto. Cheia de ruelinhas de paralelepípedo, disformes, tortuosas e tal. Daquele tipo que cansa até atleta olímpico.

Castelo de Edimburgo

Castelo de Edimburgo

De frente pro castelo não pude conter a empolgação. Mesmo sozinho, eu não parava de falar. Foi uma das coisas mais lindas que vi na vida. O castelo ali, na minha frente, imponente, poderoso. Uma sensação foda de explicar. Paguei £16 e entrei. Caro? Não! Foram muito bem investidos.

Logo na entrada já dava pra ver a muralha e eu já consegui imaginar uma fila de elfos arqueiros prontos pro ataque! Não vou ficar narrando aqui tudo que vi lá, porque…né, não quero reescrever a Bíblia.

Fiquei 2h30 lá dentro. Fucei em cada cômodo que pude, tirei fotos à beça, ri sozinho, agradeci a Deus por cada tijolinho cinza que eu via. Foi sensacional! Dentro do castelo também tem alguns museus, entre eles o Museu da Guerra, que entrei também, mas não me impressionei tanto.

Falando em museu, deixei pra visitar o Museu Nacional no 2º dia, logo cedo.

Assim como o de Liverpool, o museu de Edimburgo me surpreendeu. Não só pela riqueza de material, mas também pela interatividade do lugar. Em todas as salas tinham telas interativas, jogos, vídeos e coisas do gênero.

O último andar do museu é aberto e claro, tem uma vista linda da cidade e do castelo. Lá também tem um binóculo gigante pra apreciar a cidade. É muito lindo!

Vista do museu

Vista do museu

Sem contar que o museu tem um T-Rex. Um T-REX GRRAARRGGHH! Nem preciso dizer que morei lá até meu estômago resolver que iria começar a digerir seus órgãos vizinhos.

T-Rex!

T-Rex!

Comi Subway de novo (não briga mãe) e fui turistar. Entrei na Galeria de Arte Nacional, passei 1h30 “fazendo o gringo” e tomando sol no parque, andei pela cidade e vi um monte de escocês sendo lindo e usando kilt, comprei shortbread fingers da Walkers e desejei todos os souvenirs que vi. Depois fui ao Museu The Mound, o museu do dinheiro.

Esse museu é mantido pelo Banco da Escócia e é bem pequenininho, mas é bastante legal. Tem até uma caixa com 1 milhão de libras de verdade!

Thanks a million!

Thanks a million!

Fiz mais algumas coisas em Edinburgo, mas como são relacionadas a Harry Potter, elas vão ficar pra depois.

No fim do 2º dia peguei o ônibus e fui pra Glasgow, mas fiquei menos de 5h na cidade (entre 18h30 e 22h30) e não vi nada de muito interessante pra relatar. Por outro lado, posso afirmar com toda a certeza do mundo que Edimburgo ficou marcado no meu coração e os escoceses então, nem se fala.

Próximo post: Londres!

Anúncios

9 comentários sobre “Edimburgo, a cidade medieval da Escócia

  1. É impressionante como todos que vão para Endimburgo voltam apaixonados. E com você não foi diferente. Preciso conhecer essa cidade antes de voltar. Belo relato, como sempre, deixando a gente na pegada master de visitar também! Não esquece de falar do Harry Potter depois, hahah! Abração, Rick!

  2. Edimburgo é incrível!! Além de linda, guarda lendas interessantíssimas… Não sei se você viu esse post, sobre as lendas por trás dos pubs de Edimburgo: http://wp.me/p1NmyZ-1J

    A cada história que eu escutava, eu me apaixonava ainda mais pela cidade. Você também deve ter ouvido algumas histórias de fantasmas por lá, né? = )

  3. Pingback: Retrospectiva 2013 | Livin' La Vida…Rick!

  4. Pingback: Independência Escocesa | Livin' La Vida…Rick!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s